26.2.10

...comida, cultura e saudades

Ontem completei três anos de amores e recebi, como um dos presentes, um jantar no restaurante persa (pode chamar de iraniano também que não tem problema) Amigo do Rei. É o único do gênero no Brasil, uma relíquia nos morros do Santo Antônio, em BH. Pode-se ler inúmeras matérias sobre ele...


Mais que um jantar comemorativo - que estava excepcional (conto abaixo os pratos), foi uma noite muito especial. A começar pela música e atmosfera que me lembraram de um amigo iraniano, que se chama Alireza, e que ficou marcado na minha estadia pela Inglaterra, em 2004/2005. Uma pessoa que me é cara, que foi um poço de amizade e de novos aprendizados.

Ali era amigo para toda hora, doce, delicado, dançando hits iranianos (que hoje estão num cd aqui no meu quarto), comprando potes e potes de Häagen-Dazs para passarmos as noites vendo filmes e falando, com saudades, da família que estava longe. Ele achava que nós, brasileiras que ele conheceu lá, eram muito parecidas com as mulheres iranianas. Os cabelos pretos, o porte voluptuoso, a docuça e acolhida. Ele tinha irmãs e uma mãe querida, um pai severo, e uma lembrança terna dos laços familiares. A identificação era inevitável, ainda mais tratando-se de uma família mineira como a minha. Acho que virei mais uma irmã.


Além de Ali, me lembrei de Persépolis - o livro. Aliás, foi o Ali que me apresentou uma edição, cuja escritora é Marjani Satrapi (essa capa linda aí do lado é dela). Palavras e desenhos que remetem a coisas que nunca vi ou conheci, um universo novo, denso, cheio de doçura e conflitos no Irã. Adorei ler o livro, guardo num canto especial da prateleira para ser lido novamente.

E assim, imersa no universo iraniano, me deparei não só com tempeiros e cheiros deliciosos do restaurante Amigo do Rei. Deparei com arte persa, quadros, jóias, panos,  um mini guia que nos é oferecido por Cláudio Battaglia. Cláudio é o garçom, o marido, o paciente, o artista plástico e a educação que encanta os clientes. A chef, ou melhor, a cadbanou é Nasrin Haddad Battaglia, cozinheira nascida em Teerã, capital do Irã. Uma mulher de aparência forte e mãos mágicas, que dispara a contar tudo o que reúne relativo a memórias e impressões. E são realmente incríveis... vindas dos persas, de Paraty e outros lugares pelos quais passou e colheu coisas durante sua vida. São 20 anos de Brasil, e ela adora!


Para deixar com água na boca, conto o que comemos e bebemos: para abrir o apetite, os refrescantes preparados Dugh e Sekanjebin bo Hior - feitos com especiarias e água com gás. O primeiro é salgado, com iogurte. O segundo, meu preferido, com pepino doce. De entrada, uma carne com especiarias. E a refeição foram dois combinados maravilhosos: uma canoa de berinjela recheada com carne, alho e temperos, acompanhada de pão folha. O outro, o meu, bolinhas de pernil com legumes e um arroz de açafrão divino.
Poderia falar horas e horas dos detalhes, experiências, nomes novos e lendas que aprendi e apreendi. Mas seria injusto, pois acho que quem gostou desse mini relato deve ir ao Amigos do Rei, ou ao menos entarr no seu site e viver um pouco do que vivi ontem. Foi inesquecível.


Obrigada ao Pedro, pela oportunidade e amor. Obrigada ao universo, pelas possibilidades infinitas e gratificantes de conhecer outras coisas além do meu umbigo...


E como curiosidade:

"Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou AMIGO DO REI
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada"



5 comentários:

deia disse...

que bonito, rubica! leitura um pouco atrasada, mas não tão tarde pra dizer de novo como fico feliz que esses dois queridos tenham se encontrado =)
e voltando pra bh já sei onde comemorar o retorno! que comida mineira que nada! rsrs..

Rubia Piancastelli disse...

ahahaha, isso aí Deioca! beijocas mil e saudades sempre

Bel Lüscher disse...

Rubs, eu já fui ao amigo do rei umas 3 vezes... todass cheias de momentos mágicos e refeições deliciosas. O carinho do Claudio e da Nasrin é impressionante e a atmosfera do lugar dá vontade de ir pelo menos 1 vez por mês!
Outro dia me peguei com uam vontade imensa de tomar esse refresco com pepino... tão leve, né?
Adoro e também recomendo!
Parabéns procês pelos 3 anos de amores e delícias! :)

Carol Godoi disse...

oi rúbia, que delícia de relato. confesso que nunca vivenciei tais sabores e cores. fiquei curiosa...
beijos...

Rubia Piancastelli disse...

Bel - delícia demais os refrescos... vamos combinar uma ida quando estivermos em BH, rs!

Carol, recomendo. Leve o Fernando e se deleitem ;-)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails