6.12.11

...mira








Viajar é das melhores coisas da vida. E nesta última viagem conheci tantos lugares que ainda estou processando... Mas um, em especial, me emocionou. O Castelo de Miramare.

Fica em Trieste, cidade italiana que beira o Adriático e faz fronteira com a Eslovênia. Para começar, Trieste é uma paz: os olhos descansam nas águas lindas do mar ou nas montanhas que circundam parte da cidade, as ruas limpas refletem também a beleza das construções que heradam de cuturas distintas, arquiteturas diferentes que convivem harmonicamente. E além disso, gastronomicamente, os frutos do mar arrasam no menu! Hum...

Mas foco no castelo (porque senão vou contar o banquete que foi esta viagem).

Rodeado por um jardim imenso, maravilhoso, foi construído no séc. XIX pelo arqueduque austríaco Ferdinand Maximillian para morar com sua esposa Marie Charlotte da Bélgica. A história dos dois é trágica (e claro, linda), pois Ferdinand morre em combate no México e sua amada enlouquece, falecendo em pouco tempo. Talvez essa história, mesclada com a beleza cênica do local - uma reserva natural - que fica beira-mar e no topo de um morro, numa ponta de terra visível de quase qualquer local da cidade, tenha sido o que me fascinou tanto.

Lá, onde o vento uiva, o por-do-sol é lindo, vê-se o mar correr, os barcos passarem, as folhas dançarem no ar. Me encantou, muito. Espero que gostem das fotos!

+ informações aqui: http://www.castello-miramare.it/

22.10.11

...de belém e da boa gente

Eliana, futura dona do box 16 (atualmente da Beth), fez meu peixe frito desta noite. Eu, ela e o "alemão", fã da Paula Fernandes (ganhei uma cerveja extra por gostar da cantora também), vimos a excelente performance dos brasileiros no box e natação nos jogos do Pan Americano.


Se minha mãe visse o lugar onde eu estava, ela talvez ficaria preocupada. Mas depois que a filha da dona Eliana me "assentou" no banquinho e guardou a minha mochila em cima do freezer de cerveja - não é recomendado deixar ao lado do banco, como eu fiz - eu me senti em casa. Mentira, me senti uma invasora por 2 minutos. Logo passou, quando começamos a xingar palavrões pela falta de gols do time de futebol do Brasil, essa seleção sub qualquer coisa da qual não estou entendendo nada.

Ao final dos jogos, quando deu um soninho e vontade de vir tomar um banho no hostel aconchegante, me despedi, paguei meus devidos R$12,50 e ainda fui acompanhada pela filha da dona Eliana até o ponto do taxi mais próximo. "E desculpe se alguém aqui fez qualquer coisa ruim com você. Leve lembranças boas do nosso Pará". E como não levar?

Obrigada Belém, por sua gente boa e seu peixe frito melhor do mundo.

14.10.11

...on your own


Nesses dias chuvosos e molhados rola uma melancolia a mais. Tirando proveito dela, recomendo sair por aí para ver coisas boas que só se vê o nos dias de chuva (chão molhado, cheiro de folha, tons de cinza, garoa no rosto, guarda-chuvas diferentes, essa coisa toda...), escrever sobre aquelas minhocas e ideias que gostam de aparecer nos momentos mais solitários (ser sozinho, fazer escolhas, o que quero ser, o que estou fazendo da minha vida hoje, essa loucura toda...), tomar coisas quentes, ver filme e chamar alguém (ou não, com ou sem opção...) para o seu cobertor.

Estar só, em dias de chuva, vento uivando na janela e folhas colorindo o chão, para mim, é bom. Mas só é bom enquanto for um momento, pois ele passa e dele guardo pequenas belezas e incômodos saudáveis.


29.8.11

...caetano e irene

Depois de ter sobrevivido a um infarto de fundo histérico em pleno Rio de Janeiro, ocasionado pela visão que tive de Caetano e Jorge Ben juntos num palco, mando a foto da dupla arrasadora que encheu meu coração de perigosa alegria fulminante.



Aproveitando o gancho de Caê (e a intimidade que estou nela desde o final de semana musical) e o furacão que virou piada na mídia (e eu nunca acho graça neles), musiquinha favorita do álbum favorito:

13.7.11

...cafezin bão







brigadeiro de café! pôpidi sô!


Se fosse em Belzonte, a gente diria: hummm, cafezin bão!
Mas é em SP mesmo, é bom e lindo!

Chama Coffe Lab, fica ali na Vila Madalena e é ótimo. O lugar charmoso, com cozinha a vista e os garçons são os próprios baristas. Gentilmente, eles te explicam o feitio do café, o tipo do grão (que você pode sempre escolher) e como tomar ou mexer a colher. Eu, que nem sou a maior conhecedora de café, adorei e fiquei com muita vontade de comprar uma maquininha de fazer Aeropress pra mim :)

Alguns detalhes além desses acima fazem do lugar ainda mais especial: canos a vista, banheiro com espelho cheio de luzes como um camarim, água de grátis num filtro bem bacana e mesa coletiva de madeira...

Agora bão, mas bão mêssss é o brigadeiro de café - uma delícia na xícara esmaltada! Recomendo....

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails